Três Bairros

Três Bairros é um trio composto por Guilherme Madeira na voz, Ricardo Gama na guitarra portuguesa e João Correia na viola.
Nasce em Santarém em 2015 e desde o seu início procurou diferenciar-se dos restantes grupos pela forma de moldar a sua música em torno do fado. A abordagem a este género, a que se junta a genuinidade de cada músico, resulta num trabalho sério e ao mesmo tempo divertido que irá em breve ser dado a conhecer ao público no disco de estreia “Turno da Noite”.
Editaram em 2015 o seu primeiro tema, que viria a ser um sucesso, contando com mais de 20.000 visualizações no Youtube, intitulado “Grilo Coceirão”.

A partir dessa altura iniciaram uma digressão por vários palcos nacionais, tais como – Convento de S.Francisco, Festas de S.José, Casino do Estoril, Casino de Lisboa, Mértola, Peso da Régua, Museu do Fado, entre outros.
O primeiro single do disco de estreia dos Três Bairros intitula-se “Miúda do Café” e saiu no mês de Março de 2017. Em Outubro, juntamente com o disco, foi editado o segundo Single que dá o nome ao primeiro registo deste grupo, intitulado “O Turno da Noite”.

divider

ÁLBUM

O TURNO DA NOITE

“O Turno da Noite” é o álbum de estreia dos TRÊS BAIRROS, um trio composto por Guilherme Madeira (voz), Ricardo Gama (guitarra portuguesa) e João Correia (viola). Conheceram-se em Santarém – Guilherme e João enquanto estudantes e Ricardo professor de música no Conservatório local – o gosto pela música portuguesa, com destaque para o fado, levou-os a pôr de pé este projecto em 2015. São oriundos de Mértola, Sintra e Santarém respectivamente, daí o nome TRÊS BAIRROS- que é também o nome de um dos mais belos fados tradicionais.
Em dois anos, o trio consolidou a sua estética musical, construiu um reportório com temas tradicionais do fado e da música portuguesa, bem como temas originais que rodou em concertos por várias salas do país, antes de se abalançar para a gravação de um disco.
“O Turno da Noite” surge assim, maturado naturalmente pelo trabalho sério e ao mesmo tempo divertido, a que se junta a genuinidade de cada músico.
Dos treze temas que integram “O Turno da Noite”, oito são originais, da responsabilidade do trio. Dos temas restantes, dois são fados: o fado Alfacinha a saborear com quadras de Fernando Pessoa e “Meu Amor vem ver o rio” – letra de Carminho para um fado composto pelo Mestre Fernando Alvim com quem o guitarrista Ricardo Gama tocou durante vários anos. O Alentejo do Guilherme Madeira marca presença com “Rosa à Janela” do grupo “Baile Popular”, música de João Gil/Rui Veloso, com letra de João Monge. Admiradores incondicionais dos Xutos e Pontapés recriam neste trabalho o tema “Conta-me Histórias” e enquanto seguidores natos da obra de Jorge Palma acharam por bem encerrar o disco com o belíssimo tema “O meu amor existe”.
Em “O Turno da Noite”, os sonhos trocam-se por sensações mas o amor é levado a sério ou a brincar como em “Grilo Coceirão”, “Miúda do Café, “Anda lá, casa comigo” e o Tejo que corre em Santarém chega a Lisboa num belo poema de Mário Rui: “Apeteceu-me partir/Deixar o mundo e fugir/Pelo Tejo até Lisboa/Entrar na minha cidade/Toda pintada a saudade/Como um quadro de Malhoa”.

OUVIR O ÁLBUM